NOVIDADES

Portaria Virtual é tendência de mercado!

 

Economia aliada a segurança!

A segurança da família é um dos fatores prioritários na hora de se escolher onde morar. Por isso, é crescente o investimento em itens do gênero. Principalmente, em condomínios horizontais ou verticais.

Em grandes centros urbanos, como São Paulo ou Curitiba, já se tornou comum adotar o porteiro virtual em substituição à presença física de um profissional do gênero.
 
De acordo com um levantamento do Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi), a mudança provoca uma redução de cerca de 50% nas despesas do condomínio.
 
Enzo Fabiano Cicuto, 38 anos, proprietário de uma administradora de condomínios, localizada em Maringá, explica que a portaria virtual é uma forma de monitoramento, 24 horas, por dia, por câmeras de segurança. As imagens e os áudios do local são enviados para uma central, instalada em outro endereço, onde tudo fica arquivado.
 
Condôminos e funcionários têm digitais, fotos e dados cadastrados. Para acessar o condomínio, os moradores recebem controle remoto, para a garagem, e um chaveiro, para os portões. Em ambos os casos, um botão de pânico pode ser acionado em caso de emergência.
 
O acesso de visitantes é feito, por meio de um interfone, com imagem. Um atendente, instalado na central, conversa com
quem deseja entrar. Em seguida, entra em contato com morador, para liberar ou não a entrada.
 
De acordo com Cicuto, o porteiro virtual é uma tendência de mercado, mas deverá levar algum tempo para ser, completamente, aceito em Maringá. Ele destaca que, apenas, uma em cada dez propostas para a adoção da novidade enviada aos condomínios é aceita. “A maioria ainda prefere a portaria tradicional, com funcionário e vigilância
eletrônica”, ressalta.
 
Cicuto acrescenta que, embora o porteiro virtual torne a relação mais impessoal, sem contato humano, há um aumento da segurança. “Em casos de assalto, o porteiro não será rendido e nem vai colocar em risco os moradores, porque a central não libera a entrada de alguém, sem passar pelo condômino”, afirma.
 
O diretor de uma empresa de monitoramento e segurança, em Maringá, Michel André Felippe Soares, 36, afirma que a portaria virtual é mais eficaz, mas exige investimento. Ele recomenda que sejam adquiridos um gerador e duas formas de acesso à internet, para evitar a perda de dados e para que o sistema funcione, perfeitamente, em caso de falta de
energia elétrica.

Fonte: http://maringa.odiario.com/imoveis/2016/07/portaria-virtual-e-tendencia-no-mercado/2194694/

 
VOLTAR
Telefone: (67) 3331-2277
E-mail: contato@represegmonitoramento.com.br
R. Cel. Manoel Cecílio, 336 - Jardim São Bento, Campo Grande - MS, 79004-610